Vicentina, 20 de Julho de 2019
2019-06-25 - 10:24:00

Sumiço de cocaína uniu delegado, advogada e presos do semiaberto

Investigação sobre o furto de cocaína não descarta prisão de outros policiais

Campo Grande News

Doze presos, a investigação continua e não descarta a prisão de outros policiais por furto de 101 quilos de cocaína, ocorrido dentro de delegacia em Aquidauana este mês. Entre os detidos, o delegado Eder Oliveira Moraes.

O caso foi tratado hoje, durante coletiva da Polícia Civil, mas, sem muitos detalhes. "Não podemos antecipar muito, dar munição ao inimigo", justificou o delegado Adriano Garcia Geraldo, chefe da comunicação da Delegacia-Geral da Polícia Civil.

O delegado Carlos Delano Leandro de Souza, da Corregedoria da Polícia Civil, explicou que o furto foi realizado em duas etapas: metade dos 101 quilos sumiram no dia 6 para 7 de junho e, o restante, no dia 9. "O depósito estava fechado, poucos tinham acesso, passou-se quarta até segunda sem ninguém entrar". O arrombamento da janela, segundo ele, não era perceptível do lado de fora, já que havia uma trava interna. Por isso, o furto demorou para ser notado.

Para identificar os suspeitos, a investigação se valeu das oitivas de testemunhas, apreensão de documentos e celulares, este último, com quebra de sigilo de dados.

Nesta apuração, os policiais localizaram o carro em que a droga foi transportada, um Toyota Corolla, que estava em poder do marido da advogada Mary Stella Martins de Oliveira, os dois presos na ação.

Também foram detidos o dono do veículo, e os pais dele. Na residência do casal, aliás, foram encontrados petrechos de pesagem e preparo da droga e até vídeos do homem manuseando os equipamentos para esse fim. O proprietário do veículo já tem antecedente por tráfico, em que foi preso por tráfico de 200 quilos de cocaína em São Paulo e, em 2012, com maconha no Indubrasil.

Segundo o delegado, também foram expedidas prisões temporárias para quatro pessoas que estavam detidas na delegacia de Aquidauana na época do furto e mais dois presos do regime semi-aberto. Com o delegado, são doze presos até agora na operação.

Segundo Delano, a investigação prossegue até para verificar se há indícios suficientes em relação aos presos no envolvimento desse furto. "Para alguns elementos, temos convicção forte, mas ainda não podemos concluir de maneira firme". As evidências mais contundentes foram descobertas por meio dos celulares apreendidos com o delegado e o marido da advogada.

© 2012 - 2015 - VicentinaInforma - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: Ribero Design
(67) 9979-5354